You are currently browsing the daily archive for 17/07/2017.

Estive na barragem Norte de carona com o Jeanzão.

Explico na imagem como funciona.


1 – O rio Hercílio
2 – Face mais alta da barragem. A água entra por baixo, num túnel, que pode ser fechado por duas comportas.
3 – Casa das máquinas. Os caras precisam descer 60 metros até chegar no túnel que começa no ponto 2. Lá embaixo eles fecham as comportas.
4 – Face mais baixa da barragem. A água vaza por cima se a represa encher. Isso nunca aconteceu.
5) Canal extravasor. A água escorre por ele e volta ao rio mais adiante.

Índios fizeram um puxadinho na entrada da casa das máquinas e tem gente morando lá, cuidando pra ninguém entrar.


Índios moram ao lado da barragem. Crianças brincam em torno dela.


Equipamentos destruídos.


Problema grave a ser resolvido.

No desenho o azul é a parte normal do rio.

Em vermelho, o que acontece quando ela é fechada nas grandes enchentes.

A água atinge alguns trechos das estradas e se infiltra, causando desmoronamentos quando o nível volta ao normal.

Muitos índios moram em encostas. Algumas dessas casas caíram.

Há risco para muitas.


Ginásio coberto e uma escola totalmente destruídos após desbarrancamento nas enchentes de 2014.


Jean pediu pros índios liberarem a barragem para vistoria de técnicos.

Discursos foram de integração e amizade, mas nada feito.

Cacique em exercício disse que a ocupação continua.

Mudanças só após nova reunião em Brasília.


Presidente da Câmara de Vereadores de José Boiteux é índio.

Mora numa das aldeias.

Articulado. Inteligente.

Bom de conversa.

Sabe o que quer.


Bugres de Blumenau visitam a barragem e ficam extasiados com a paisagem.

Participaram da visita os vereadores:

Adrianão

Alexandre Caminha

Alexandre Matias (eleito o mais bonito pelas índias)

Becker

Ito

Jovinão

Mantau

Marcos da Rosa

Prof. Gilson

Sylvio Zimmermann

Minha caminhadinha matinal de domingo de manhã passo em frente ao Obs e é aquela coisa: garrafa de vodka no chão, latas de cerveja e calçada suja.

Lembrei do filme que vi ontem: Fome de Poder.

História do cara que criou a franquia do McDonald’s e que depois acabou comprando o nome da empresa, tornando-se bilionário.

Sabem o que ele fazia?

Ficava puto com a sujeira e varria ele mesmo a frente das franquias que visitava, até de madrugada, e dava esporro em todo mundo por causa disso.

Dizia que limpeza era importante para os negócios, para a imagem da empresa.

Sei que em Blumenau andou rolando proposta de lei não sei de quem, que mandava os bares e casas noturnas limparem as calçadas em seu entorno.

Não sei como ficou o troço, mas nem precisava de lei.

O exemplo do cara do McDonald’s deveria ser suficiente.

O filme é bem bacana. Netflix.


CEO do Macdonals varrendo loja

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Twitter

Comentários

edu em Carlos Auditores
Pensador em Carlos Auditores
Alex em Carlos Auditores
edu em Persuasor
Miguel José Teixeira em Carlos Auditores

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 289 outros seguidores

Agendoca

julho 2017
S T Q Q S S D
« jun   ago »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Arquivos

Blog de Carlos Tonet

Jornalista e marceneiro

Crítica (non)sense da 7Arte

Blog com críticas de cinema

%d blogueiros gostam disto: