Sobre as negociações com a Odebrecht em Blumenau, Napoleão ontem exibiu documentos afirmando coisas que a gente já sabia.

A apresentação dele serviu para refrescar nossa memória ao resgatar os seguintes fatos:

 

1.A Odebrecht veio para Blumenau com a promessa de já ter 23% do esgoto sendo tratado e faturado (aliás isso é culpa dela. comprou uma loja sem conferir o estoque).

2.Depois de assinar o contrato viu que só tinha 3,8%. Por isso pediu pra reajustar o contrato em R$ 118 milhões, alegando frustração de receita.

3.JPK então contratou a FGV, que confirmou o valor.

4.A Agir também resolveu conferir e contratou a consultoria Reinfra, que também confirmou os 118 milhões.

5.Dez dias antes de sair do cargo, JPK assinou termo concordando com a dívida, passando a bucha de 118 milhões para o Napoleão.

6.Napoleão assumiu e discordou da dívida.

7.Contratou uma outra consultoria, a LMDM, que reviu todo o processo e constatou que a dívida na verdade era R$ 51 milhões a menos.

8.A LMDM concluiu que houve frustração de receitas, mas também frustração de investimentos.

9.Houve judicialização por parte do Napoleão, que mandou parar as obras por 36 dias.

10.Em tudo houve o acompanhamento Tribunal de Contas.

11.No fim, venceu a proposta do Napoleão.

12.Sobraram 67 milhões, que foram diluídos através de reajuste na tarifa, transferência da cobrança para o Samae e aumento de 10 anos no contrato de concessão.

Esses são os fatos havidos e acontecidos.

 

Daí depreende-se que:

1.Os caras da FGV são uns socós.

2.Os caras da Reinfra são uns socós.

3.Os caras da Agir são socós.

4.JPK é um socó e aceitou pagar sem berrar.

5.Todos eles são socós porque foram na conversa da Odebrecht.

6.A LMDM é uma empresa esperta e capacitada.

7.Napoleão é um cara esperto e capacitado, porque reduziu a dívida pela metade.

A defesa apresentada pelo Napoleão sustentou a tese de que ele foi valente e macho e que enfrentou o terrível monstro da Odebrecht contra tudo e contra todos.

 

Outras coisas a notar:

1.O depoimento do delator da Odebrecht favorece o Napoleão, quando assume que foi a Odebrecht quem procurou o PSDB para oferecer R$ 500 mil em apoio à campanha, assim como à Ana Paula e Jean.

Se a denúncia fosse que o PSDB pediu doação, seria pior.

2.O delator favorece o Napoleão quando diz que só conheceu depois de eleito e que nunca negociou doação com ele, nem pedidos de facilitações.

3.O delator também favorece o Napoleão quando diz que o prefeito não quis pagar os R$ 118 milhões e que endureceu na parada para renegociar o contrato.

4.O delator favorece o Napoleão quando diz que o prefeito envolveu o Tribunal de Contas e criou um grande grupo para tratar do assunto.

 

Tudo isso parece claro.

Existe, claro, a possibilidade de a Odebrecht ter superestimado a dívida para depois negociar.

Se foi assim, ficou feio para a gloriosa FGV e sua decantada equipe de técnicos.

A única coisa que desfavorece o Napoleão é quando o delator diz que passou dinheiro em caixa 2 para o Dalírio usar na campanha dele.

É com isso que o Napoleão tem que se preocupar.