Durante décadas a direita mandou e desmandou no Brasil.

Compadrio, coronelismo político, autoritarismo, corrupção, atraso.

Aí uma turminha da esquerda que vinha apanhando encontrou no meio da rua o discurso da ética.

Aí essa turminha acolheu o discurso da ética, deu comida, tratou as feridas e tomou o poder com ele.

Logo que assumiu, a turminha da esquerda jogou o discurso da ética de volta pro meio da rua.

Então veio a turminha da direita a encontrou o pobre discurso da ética no meio da lama, todo sujo, rasgado, pisoteado.

Um deles falou: “Olha a ética aí, pessoal. Foi com esse discurso que os comunistas assumiram o poder”.

Então a direita recolheu o discurso da ética, alimentou ele, deu banho e o borrifou com um perfume que mescla fragrâncias de moralidade, patriotismo e meritocracia.

A camiseta vermelha rasgada e suja de barro foi trocada por uma de cor mais clara, o amarelo.

A esquerda se esvai euquanto lamenta ter jogado o velho discurso da ética na lama.

Em seu lugar vemos agora os bolsonaristas e seguidores da direita moralista comprando um produto remanufaturado.