Acabo de ver For the love of Spock na Netflix.

Documentário bacaninha feito pelo filho do Spock.

Lembro aos senhores que Jornada nas Estrelas também está na Netflix.

Não sou trekker, mas sempre curti a série e vejo episódios esporadicamente.

Me encantam os cenários toscos, os monstros bizarros, os personagens, as tiradas.

Adoro as coreografias das lutas quando os caras enfrentam alguma raça inimiga.

O documentário cita uma montagem em que selecionam algumas cenas para criar um romance gay entre Kirk e Spock.

Particularmente acho que rolava uma paixão secreta entre o Kirk e o Dr. McCoy.

Spock era só um flerte.

Jornada nas Estrelas era um dos poucos programas que eu via na TV em Rio do Oeste, nos meus 15 anos.

TV preto e branco, com algum chuvisco.

Eu reservava o dia em que a série passava e não saia de casa.

Jornada nas Estrelas tem um gostinho de Rio do Oeste.

Onde nenhum homem jamais esteve.