Mocinha com câncer, de São Paulo, disse no Facebook que foi interpelada por uma mulher negra pelo fato de estar usando turbante, por ser parte da cultura negra.

Segundo ela, a mulher negra afirmou que brancos não podem se apropriar da cultura negra.

O troço foi parar na Folha de São Paulo e motivou discussão entre os que defendem o direito de os brancos usarem turbante e os que não admitem a tal “apropriação cultural”.

Algumas ponderações:

1) Está meio estranha a narrativa da moça.

2) Mas supondo que seja verdade, até onde sei turbante é usado em larga escala em países muçulmanos e na Ásia, por hindus, turcos, etc. Nunca ouvi dizer que era uma particularidade da cultura negra africana.

3) Se não posso usar turbante porque é coisa da cultura negra e sou branco, então também não posso ouvir samba, praticar capoeira e nem comer acarajé.

4) Negro pode usar traje típico alemão na Oktober?

Finalmente é preciso destacar que não se trata de uma discussão sobre chapéu, mas turbante.