Baseado em Neruda, T. S. Elliot, F. Pessoa, Leminski, Cecília Meirelles e Charles Baudelaire, fiz um poema de otimismo para o ano que vem.

Um poema para incentivar Paulo França a fazer todas as obras emperradas, como as pontes do centro, a Humberto de Campos e a Margem Esquerda.

O nome do poema é “Paulo França”:

Paulo, Paulo, Paulo França/
Aquele que só trabalha e nunca descansa

Paulo, Paulo, Paulo França/
Repousa em ti nossa pujança

Paulo, Paulo, Paulo França/
Quem espera sempre alcança

Paulo, Paulo, Paulo França/
Nossa fé em ti avança

Paulo, Paulo, Paulo França/
És nossa mais sublime esperança