• Entrevista coletiva do governador em Blumenau, hoje pela manhã.
  • Entre suas obras, Raimundão cita o novo quartel da PM, que ele pensava que ia instalar no prédio onde funcionava a Lancaster.
  • Lá não pega enchente e ele quer colocar os bombeiros junto.
  • Mas eis que a comandante coronel Claudete toma a palavra no meio dos jornalistas pra dizer que a coisa mudou: a PM está conduzindo um projeto de ampliação da sede atual.
  • A ideia é deixar o térreo vazio, transferindo tudo para pisos superiores.
  • Assim, nas enchentes a PM se reinstala em pontos estratégicos e o quartel fica com água no pátio vazio, mas os andares superiores são poupados.
  • Como a atual localização é estratégica e as enchentes são eventuais, uma avaliação técnica da PM concluiu que essa é a melhor solução, além de ser mais barato.
  • Raimundo fez cara feia e respondeu duas coisas, visivelmente contrariado:
  • Ele diz que pensava que a PM e os Bombeiros deveriam ficar integrados e fora da enchente. Ele disse que não sabia que ficar na enchente era melhor. “A mudança pra Lancaster ia custar R$ 2 milhões a mais, mas eu não me importei porque queria fazer o melhor pra Blumenau”.
  • Raimundão disse não foi avisado da mudança de planos. “Dias atrás fui procurado pelos donos do prédio da Lancaster. Se nós não comprarmos o prédio eles querem vender pra outro. Eu disse que iríamos avançar e comprar”.
  • A PM possui ofícios trocados com Florianópolis dando prosseguimento ao projeto de ampliar a estrutura atual, com a construção de mais andares.
  • Eu mesmo vi eles.
  • Portanto a informação da Claudete está correta.
  • Raimundão entrou vendido na história.
  • Ou foi ele que esqueceu das coisas ou os assessores dele não avisaram sobre a mudança de planos.
  • Raimundão bufou e disse que ia se inteirar.
  • Pelo jeito, cabeças vão rolar.