• A quem interessar possa, recomedo o livro o Homem que Inventou Fidel.
  • Tem um artigo bacana sobre ele na Piauí, que você lê AQUI.
  • O livro conta a história do jornalista do The New York Times que furou os bloqueios, entrou em Cuba antes da revolução e pintou Fidel como herói, fazendo a opinião pública americana se voltar contra o Fulgêncio, provocando embargos e gerando adesões a Fidel que contribuiram para a derrocada do Fulgêncio, mesmo com os EUA tentando reverter as coisas na última hora.
  • Fidel não era comunista e pertencia a um tal partido do Povo, enquanto os comunistas eram independentes dele e não gostavam dele. Depois de se tornar ditador, tomou o lugar dos comunistas cubanos, dando um cacete em vários deles.
  • O livro mostra como os EUA ajudaram Fidel e depois se arrependeram.

MARKETING IDEOLÓGICO

  • Fidel foi uma espécie de Rogério Ceni das esquerdas: nada mais que um grande marqueteiro de si mesmo.
  • Fidel foi antes de tudo um gênio do marketing.
  • Fidel soube manipular as coisas a seu favor, seduzindo esquerdóides, comunistóides e porraloucas do mundo todo com sua conversa mole, porém muitíssimo bem edulcorada, ao gosto do freguês.
  • Fidel sabia o que falava, para quem falava.
  • Falava para seus fãs de fora da ilha exatamente o que queriam ouvir.
  • Quem comprava o pacote do turismo ideológico vendido nas estadias em Cuba voltava satisfeitíssimo.
  • Eu li O Príncipe, do Maquiavel.
  • Fidel foi o Grande Príncipe das Américas.

ELIMINANDO A SOMBRA

  • Em toda a revolução nunca há lugar para dois líderes.
  • Minha grande admiração por Fidel é a maneira como ele cozinhou o Chê Guevara fogo brando.
  • Alimentou as ambições do ex-guerrilheiro vaidoso e egocêntrico, enviando-o para longe em batalhas perdidas.
  • Mandou o tonto do Chê para a morte certa, acenando com apoios que nunca vieram.
  • Fidel e Chê Guevara é como o Lula e o Zé Dirceu.
  • Zé Dirceu tombou morto no Mensalão e abriu o caminho para o sucesso do Lula, enquanto os petistas de verdade até hoje idolatram seu mártir preso.
  • A morte de Chê não apenas liberou totalmente o caminho para Fidel, como lhe criou um mártir sob medida.
  • Mortos não falam, não reclamam cargos.
  • Mortos não conspiram, não se voltam contra você, não denunciam a traição.
  • Fidel foi sempre tão competente e sortudo que não precisou mandar mandar matar o Chê Guevara do jeito que o Stálin fez com o Trotsky.
  • O argentino boludo se matou sozinho.