• Napoleão vai terminar o mandato.
  • Ele até enseba dando a entender que pode não terminar, mas vai terminar.
  • É bom pra ele que a imprensa fique falando que ele pode ser candidato a governador.
  • Funciona como marketing espontâneo.
  • Napoleão é um dos raros casos de prefeito que pode terminar o segundo mandato melhor que o primeiro.
  • Para se cacifar a ser governador, Napoleão precisa mostrar coisas.
  • Ele não pode ir para uma campanha de governador mostrando “reforma e ampliação de escolas”, “musicalização infantil” e “parceria com o Google Educação”.
  • Napoleão vai precisar de quatro anos para concluir a Humberto de Campos, fazer a Margem Esquerda, construir uma ponte no Centro e deixar uma frota de ônibus nova e redondinha.
  • Para isso, claro, vai ter que ser mais ágil do que é.
  • O governo Napoleão muitas vezes passa a impressão de ser um governo sem pressa.
  • Quatro anos passam rápido e o risco de não sair nenhuma ponte no Centro é grande se a coisa continuar andando lenta e modorrentamente.
  • Uma campanha a governador não se faz da noite pro dia.
  • Se quiser concorrer a governador, Napoleão vai ter que concluir o mandato e mostrar resultados bem melhores do que os que acaba de mostrar.
  • Depois terá um ano e meio para percorrer o estado, se cacifar, mostrar o que fez e formar uma grande base de apoio.
  • Ninguém consegue se eleger governador fazendo comício em Criciúma só pra dizer que fez a “contenção de encosta na Rua Petrolândia” e “móveis sob medida no ESF Norberto Sprung”.