• Chata.
  • Chata.
  • Muito chata.
  • Nunca se viu campanha tão chata.
  • Tá todo mundo desanimado, de saco cheio.
  • O saco arrastando no chão com os candidatos.
  • Suas conversas que não ouvimos.
  • Seus abraços que fingimos.
  • Suas bandeiras carregadas a soldo.
  • Os santinhos que nem assuntamos.
  • As promessas que desprezamos.
  • Os programas que não olhamos.
  • E que quando olhamos não acreditamos.
  • Estamos à beira de vomitar com os bilhões gastos em cargos públicos desnecessários, as nomeações de amigos, os assessores analfabetos usados para apropriação de salários, a falta de controle com os gastos, a putaria comendo solta.
  • A irresponsabilidade fiscal.
  • A crise econômica.
  • A absoluta e total falta de interesse em enfrentar de verdade os problemas do País.
  • O descaso com a economia, o desinteresse no crescimento.
  • A roubalheira do PT, a roubalheira do PSDB, do PMDB, do PP e de todo mundo que joga esse jogo imundo.
  • Estamos puteados com a inépcia, a incompetência.
  • Com o mimimi dos petistas lulistas mortadelistas, os comunistas de shopping.
  • O discurso direitista de falsa ética e moralidade de bolsonaristas e coxistas com suas camisas da CBF.
  • Dedos sujos nos apontando a direção.
  • Estamos de saco cheio com campanhas infantilóides de voto consciente, com suas mensagens inócuas, babacas, antiquadas e pretensiosas.
  • Não precisamos que nos digam como votar.
  • É nosso direito não votar.
  • É nosso direito votar em branco, anular, ficar em casa ou tocar um foda-se e viajar.
  • Políticos reclamam da campanha curta, da falta de dinheiro, do pouco tempo de TV.
  • Pois para nós ainda é demais, diante de tanta insinceridade, falsos sorrisos e falsidade.