• Há alguma coisa de errado na propaganda do Napoleão.
  • É perfeita demais, bem editada demais, o enquadramento e a iluminação são bons demais.
  • A direção é ótima.
  • Mas ele não me comove.
  • Ele diz, por exemplo, que fez doze pontes, mas eu e o pessoal que mora nos bairros não vimos nenhuma delas em detalhe ainda.
  • Um acerto foi a abordagem na questão dos ônibus, com detalhes, mas fora isso tudo me parece ligeiro, fugaz, como se Napoleão estivesse ligado apenas burocraticamente às coisas que mostra.
  • Há alguma coisa de errado na campanha do Jean.
  • Não é o espetáculo visual do Napoleão.
  • Poderia compensar isso com emoção, mas falta tempero.
  • Jean parece meio plastificado.
  • O tão esperado carisma do Alexandre José não aconteceu pra mim.
  • Não sinto uma química entre os dois.
  • Quando conversam parece aqueles dialoguinhos ensaiados e pausterizados dos apresentadores assépticos da Globo.
  • Não consigo ver o Louro descontraído das parcerias com o Coutinho.
  • Jean se preocupa demais em sorrir.
  • Parece ter esquecido que JPK se elegeu carrancudo e com aquela cara de aborrecido que ele tem até hoje.
  • Em termos de passação de mensagem, acho que o Ivanzão tem acertado mais.
  • Ele consegue passar a imagem dele mesmo, do jeito que ele é.
  • Uma câmera na não e algumas ideias na cabeça.
  • Concordemos ou não com as proposições do Ivanzão, ele pelo menos está certo quando repete o bordão “você me conhece”.