Fiquem de olho no Samae.

Deve vir por aí um míssil do MP.

Em questão, gastos com sistemas e processos de gestão financeira.

Quando a Foz fazia as cobranças, os gastos eram de R$ 150 mil mensais.

Segundo o MP apurou, a coisa hoje estaria beirando os R$ 800 mil/mês.

Gustavão Mereles já andou dando umas bicadas por lá.