A coisa não está fácil pras empresas do Vale.

Primeiro a Buettner de Brusque teve a energia elétrica cortada pela Celesc.

Fechou as portas.

Agora o Pedrão Manchado noticia no Santa que a Porcelana Schmidt fechou sua loja de fábrica em Pomerode depois que a Celesc cortou a energia por falta de pagamento.

A Celesc vai se transformando em carrasco de empresas.