Éder Lima, presidente do PT de Blumenau, participou ontem de entrevista ao Alexandrão Gonçalves, na Nereu

Irônico, ele cunhou um exemplo criativo para comparar as doações das empreiteiras ao PT e ao PSDB:

“O dinheiro da campanha da Dilma era da corrupção, já as doações para o Aécio vieram da sacristia da Igreja”, disse.

Hoje pela manhã a Lava-Jato prendeu o ex-senador Gim Argello e revelou que ele mandava depositar dinheiro da corrupção na conta de uma igreja.

Com toda essa capacidade de antecipar fatos, Éder poderia dar um ótimo suporte para a Lava-Jato se estivesse do outro lado.

Se eu fosse o Moro convocava ele.