• Atenção povo das imprensas.
  • Depois de anunciar a venda das operações da RBS em SC e tomar um desmentido, Paulo Alceu voltou a tocar no assunto.
  • Desta vez ele meteu o Boni e uma rede de farmácias no meio.
  • Para jornalistas, trabalhar para uma rede de farmácias seria legal.
  • Ia ter Aspirina subsidiada.
  • Gosto de pensar na ideia de o Boni assumir a editoria do Santa.
  • Eu ia poder sentar ao lado do Boni nas coletivas do Napoleão e ficar em pé ao lado dele nas coletivas ao ar livre da Piracicabana.
  • Vejam o novo ataque do Paulo Alceu:
  • “A missão de um jornalista é a informação. A notícia que divulguei pode ser interpretada como precipitada. Entretanto, é comentário corrente nos meios empresariais catarinenses, principalmente no segmento da comunicação, que realmente as negociações existem, envolvendo, como revelei, o investidor Lirio Parisotto juntamente com um grupo do centro do país que opera uma rede de farmácias e um laboratório de genéricos. Especula-se que seria o laboratório EMS, do empresário Carlos Sanchez. Acrescente-se a isso, que o consultor técnico da nova organização, que se chamaria Vanguarda, seria o empresário e executivo ex-Rede Globo, Jose Bonifácio, o Boni. Evidente que um negócio de dimensões grandiosas deve ser tratado com os devidos cuidados, então vamos aguardar com atenção o desenrolar dos fatos. O tempo é o senhor da razão”.