Ivan fez caminhada Nextel de perfil, em plano sequencia alternado.

Atravessou uma faixa tipo os Beatles.

Foi desfiando umas promessas.

Ficou bacaninha e diferente.

Valmor disse que a prefeitura perdeu uns 200 milhões em verbas.

Sandra disse que Blumenau parou no tempo.

Valmor falou que vai dar um jeito de isso não acontecer mais.

Napoleão 45 começou fazendo média com os servidores.

Alguns servidores puxaram o saco dele.

Marilí Martendal também deu pitaco pró-Napo.

Disse que criou uma “mesa permanente de negociação”, mas não mostrou foto da mesa.

Mário falou em valorizar o servidor.

“Valorizar o servidor” é item de série em qualquer campanha política.

Apareceu o Dalirião dizendo que quer estar junto com o Napoleão.

Jean e Louro José retomaram aqueles passeios de carro tipo Táxi do Gugu.

Tacaram pau na segurança.

Jean disse que vai transferir a Guarda de Trânsito para a Defesa do Cidadão e que vai colocar os agentes pra serem guardas municipais.

Mexeu num vespeiro.

No final mostrou a pesquisa com ele na frente, mas explorou pouco o troço.

Eu teria explorado mais.

Arnaldo também fez média com os servidores.

Disse que está preparado pra governar.

Como eu já havia aventado pela manhã, a pesquisa da RIC de Jean em primeiro com Napoleão em segundo, com pouca diferença e com forte perspectiva de segundo turno.

A pesquisa de hoje tem uma de hoje tem uma deficiência.

Não temos como comparar com outras anteriores.

Assim não sabemos quem cresceu nas últimas semanas, quem estagnou ou quem caiu.

Sabemos que Jean está na frente, com 34,3% e que Napoleão está em segundo com 30,9%.

Mas não temos como saber se ele estagnou, caiu ou subiu nos últimos dez dias.

Também não sabemos se Napoleão subiu muito, se subiu pouco, se caiu ou empacou.

Se uma sequência de pesquisas mostrasse Jean caindo e Napoleão subindo, os tucanos poderiam comemorar, mesmo estando atrás.

A pesquisa única beneficia o marketing do Jean.

Os números:

1. Levantamento estimulado:

34,3 % – Jean Kuhlmann (PSD)

29,9% – Napoleão Bernardes (PSDB)

7,8% – Ivan Naatz (PDT)

4,5% – Valmor Schiochet (PT)

4,2% – Arnaldo Zimmermann (PCdoB)

14,6% – Nulo/Branco

4,7% – Não souberam

2. Rejeição estimulada:

38% – Napoleão Bernardes

28,7% – Valmor Schiochet

27,2% – Ivan Naatz

23,4% – Jean Kuhlmann

16,3% – Arnaldo Zimmermann

13,1% – Não rejeitam ninguém

4,5% Não souberam

3. Quem o eleitor acha que ganhará:

42,9% – Napoleão Bernardes

32,1% – Jean Kuhlmann

1,5% – Ivan Naatz

0,8% – Arnaldo Zimmermann

0,7% – Valmor Schiochet

22,1% – Não souberam

Dando uma fuçada nos bastidores, unindo um ponto aqui, outro ali, levando em conta determinada abordagem ocorrida, mais algumas movimentações estratégicas, juntando algumas peças, me arriscaria a dizer que a pesquisa de hoje trará Jean na frente.

Quanto?

Não sei. É provável que não seja muito.

De qualquer forma apostaria na existência do segundo turno.

  • Valmorzão reclamou do sucateamento do transporte coletivo, esgoto e água.
  • Falou que vai governar de um novo jeito.
  • Dedicou o programa às merendeiras.
  • Napoleão disse que trabalha todo dia pro nosso bem-estar.
  • Sasse e Félix Theiss puxaram o saco dele.
  • Felix disse que outros ficam no lero-lero.
  • Napoleão andou pela Margem Esquerda horrorosa inacabada e que levou quatro anos só pra colocar umas pedras vagabundas.
  • Mas ficou bacaninha a interação dele com uma galerinha.
  • Enfiou umas obras e disse que fez e vai fazer mais.
  • A musiquinha nova ficou bacana, parece um blues.
  • Jean interagiu com uma galerinha ao lado do Louro.
  • Jean está mais bonitão, com um jeito jovial e mais solto.
  • Está melhor no vídeo que o próprio Alexandre José, que parece meio travado.
  • Arnaldão falou em plano de mobilidade arrojado.
  • Fiquei esperando ele dizer como, mas ele não disse.
  • Ivan disse que acabou com o salário do vice e falou que vai acabar com o gabinete do vice.
  • Não deu tempo pra ele falar mais nada além do “você me conhece”.
  • A campanha de Blumenau já tem um grande vencedor.
  • Valmor Schiochet.
  • Valmorzão só conseguiu entrar na disputa porque a oligarquia petista local pulou fora.
  • Décio, Ana Paula e J. Forest farejaram a derrota, se agarraram a um bote salva-vidas e abandonaram o navio.
  • Conheço pouco o Valmor.
  • Mas conheço o suficiente para dizer que é intelectualmente honesto e acredita nas coisas que diz.
  • Poeta sonhador.
  • Mas sincero e verdadeiro.
  • Faz uma campanha bonitinha, simpática, sem ranço ideológico.
  • Um grande achado foi sua vice.
  • Sandra Pinheiro se expressa bem.
  • É articulada, tem ideias próprias.
  • Gostei de uma entrevista dela na TV, a vivo.
  • Não lembro a emissora.
  • A repórter pergunta: “Quem é Sandra Pinheiro?”.
  • “Tenho 53 anos, sou solteira, tenho um filho”.
  • Para muita gente foi mais ou menos como se ela tivesse dito:
  • “Tenho 53 anos e sou solteira, porra. Tenho um filho, caralho. Algum problema? Vai encarar?”
  • Fico pensando em quantas mulheres não têm a sorte dela, presas a convenções e sem condições de darem seu grito de liberdade.
  • Não tenho ilusões.
  • Sou pragmático.
  • Não votarei no Valmor.
  • Não estou à procura de propostas ideológicas, de sonhos ou utopias.
  • Mas talvez você esteja pensando em alguma candidatura alternativa, num candidato sincero, em alguém que realmente acredita no que diz.
  • Então vote Valmor Schiochet
  • O número dele é 13.
  • Boa sorte, Valmor.
  • Boa sorte, Sandra.
  • Não tamo junto.
  • Não votarei em vocês, mas torço para que sigam adiante.
  • Diversidade é preciso.


Com a crise aumenta número de pessoas que se dirigem às lojas para pechinchar, ficam alugando os vendedores e saem sem comprar nada
.


Com a crise aumenta número de pessoas que se dirigem às lojas para pechinchar, ficam alugando os vendedores e saem sem comprar nada.

Foi registrada a primeira pesquisa eleitoral em Blumenau.

Começa hoje e termina dia 24.

Deve ser divulgada na segunda-feira.

Feita pelo instituto Mapa.

Contratante é uma tal de TV Top, que é a RIC TV.

Pagou R$ 21 mil.

Napoleão ganhou 1 minuto para direito de resposta no programa do Jeanzão.

Resultado daquela treta em torno dos dados sobre creches anunciados pelo Alexandre José e que o Napoleão disse que era uma mentirada.

A bateção que o Jean começou acabou sendo um tirinho no próprio pezinho.

  • Valmor falou com o Celso sobre violência disse que vai criar a guarda patrimonial.
  • Celso sugeriu parcerias.
  • Quem é o Celso?
  • Não sei.
  • Napoleão fez o que eu mandei: passou uma lista com as tais 12 pontes que ele disse que fez.
  • Falou de mais uns troços que fez, fez, fez.
  • Falou da nova iluminação pública, que deve se verdade, porque a minha rua tem lâmpadas novas.
  • No fim teve chororô reclamando que estão falando mal dele nos outros programas.
  • Jean pediu pra gente fazer uma reflexão.
  • Enquanto eu refletia, ele deu mais uns chutes na canela do Napoleão.
  • Em seguida fez uma caminhada Nextel com o Raimundo Colombo.
  • Raimundão disse que a melhor coisa pra ele é ser prefeito.
  • Então não sei porque não continuou na prefeitura de Lages.
  • Arnaldo fez média com servidores e professores.
  • Ivan prometeu governar com as pessoas.
  • Falou que os outros são iguais.

Humberto de Campos acordou animada hoje.

 

Várias máquinas trabalhando.

Gente andando pra cima e pra baixo.

Fiquei com a impressão de que talvez a coisa esteja andando

 

A semana passada foi marcada por uma reviravolta na campanha do Jeanzão.

Ele começou a bater pesado no Napoleão.

O Alexandre José praticamente chamou ele de mentiroso.

O Louro usou até o datenesco “põe na tela”.

Napoleão foi pra Justiça e conseguiu proibir que o Jean use o Alexandre José em cenário de estúdio parecido com o do programa dele na RIC.

Burrice.

Eu não teria feito isso.

Bater traz rejeição.

Bater tira voto.

Quem está na frente não bate. Quem bate é quem está atrás.

No lugar do Napoleão eu teria deixado o Louro usar sua imagem de comunicador, pois ele atrairia mais rejeição ao Jean e os dois afundariam abraçadinhos.

Eu torceria pro Jean continuar me chutando usando e desgastando a imagem do Alexandre José.

Eu posaria de vítima.

Seria o coitadinho injustiçado.

Eu iria além: telefonaria pro Jean usando um dissimulado tom choroso: “Ô, Jean, vê se para de bater em mim. Por favor, não usa o Alexandre José no cenário da RIC. Isso está acabando comigo”.

Eu faria isso apenas para ver o Jean bater mais, mais, mais.

Raimundão veio gravar em favor do Jean.

Foi levado pelo JPK na sorveteria do Schmidt.

JPK. Um homem do povo.

Dias atrás me convidaram pra ver uma corrida de cágados.
Depois me convidaram pra ver outra corrida com os mesmos cágados, porque um dos cágados pediu revanche.
Anotei quantos metros cada cágado percorreu.
O resultado das duas corridas está na ilustração.
Eu só não sei em qual cágado acreditar, se é que dá pra acreditar em cágados hoje em dia.
A Xuxa acredita em duendes, mas isso é outra história.

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Twitter

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 237 outros seguidores

Agendoca

setembro 2016
S T Q Q S S D
« ago    
 1234
567891011
12131415161718
19202122232425
2627282930  

Arquivos

Blog de Carlos Tonet

Jornalista e marceneiro

Crítica (non)sense da 7Arte

Blog com críticas de cinema; Blog with coments about cine; Blog con críticas de películas

%d blogueiros gostam disto: