You are currently browsing the tag archive for the ‘jean kuhlmann’ tag.

  • A nova ponte do centro esteve no centro das discussões entre Napoleão e Jeanzão no segundo.
  • Napoleão puxou o assunto pro meio da roda ao defender a ideia de que a ponte deveria unir a rua das Palmeiras à Prainha.
  • Jeanzão contra-atacou defendendo a proposta original prevista no Projeto Blumenau 2050, que prevê uma ponte entre a Rua Chile e a Rodolfo Freygang.
  • Pessoalmente, acho que a ideia do Napoleão é melhor, mas eu não entendo de ponte e nem de engenharia de trânsito.
  • Andei consultando documento de uma consultoria que orientou a definição da proposta escolhida no Blumenau 2050.
  • Nesse documento são apresentados seis projetos para localização de pontes.
  • Quatro ligam a Beira-Rio à Ponta Aguda.
  • O quinto liga a Av. Brasil (Prainha) à rua Duque de Caxias (rua das Palmeiras). Esse é o projeto escolhido pelo Napoleão.
  • O sexto liga a Prainha à rua Itajaí.
  • Cada um dos projetos têm prós e contra.
  • Analisando os estudos, chego à conclusão de que nenhum deles vai aliviar muito a situação.
  • Em primeiro lugar, foram utilizados estudos de trânsito de 2003, alguns baseados em pesquisas de 1999.
  • Esses cálculos deveriam ser revistos.
  • Nos dias de hoje, se colocarem 20 pontes ligando a Beira Rio à Ponta Aguda, o problema vai persistir. Afinal, todos os carros desembocarão na mesma Beira Rio.
  • A Ponta Aguda só tem um corredor, formado pelas rua República Argentina e Missões, que e complementam.
  • Na curva do Rio, há apenas a rua Itajaí que se complementa com a Duque de Caxias.
  • Todos esses trechos estão esgotados, engarrafados nos momentos de pico.
  • Colocar pontes em qualquer um deles apenas transferirá para mais adiante o início dos engarrafamentos, já que a construção de viadutos parece impossível.
  • Ou seja: a gente temo perdido de qualquer jeito.
  • Você pode conhecer as opções clicando AQUI. (Link enviado pelo Ronaldo César Schork Júnior)
  • Abaixo, tabela com os pontos positivos e negativos das seis propostas de pontes analisadas.
    Clique na imagem para ampliar:

opcoes-pontes-centro

  • Chuva leva pânico a candidatos em BNU.
  • Ninguém sabe mais onde colocar todo aquele pessoal que agita bandeiras nas sinaleiras.
  • Abrigos e ginásios de esportes já estão totalmente tomados e não há mais espaço para santinhos e adesivos.
  • Se a chuva continuar, a Oktober deverá ser cancelada para receber apoiadores de Napoleão e Jean que ainda estão desabrigados.
  • Sim, eu sei, as pesquisas estão dando 95% pro Napo, 3% de indecisos e 2% pro Jeanzão.
  • Mas essa foto mostra a verdadeira popularidade de um candidato nas ruas.

  • Jefferson Forest gravou vídeo em que acusa Fábio Fiedler de tê-lo levado à casa do Jean, onde os dois teriam pedido apoio do PT.
  • Coloquei o vídeo aqui no blog. Para vê-lo, clique AQUI.
  • Uma acusação grave, um escândalo.
  • Em resposta, Fábio Fiedler gravou vídeo dizendo o contrário.
  • Ele afirma que foi Jefferson quem o procurou oferecendo apoio.
  • Quem está mentindo? Não sei. É a palavra de um contra a do outro.
  • O vídeo do Fabão está aí embaixo.

QUEBRA DE CONFIDENCIALIDADE

  • Não vou entrar no mérito da questão até que haja alguma prova irrefutável a favor de um ou de outro.
  • A questão me levou a analisar  o comportamento do vereador estreante Jefferson Forest.
  • Caso esteja falando a verdade, Jefferson mostra a todos que é arriscado confiar nele.
  • Se ele realmente sente tanta repugnância pelo PSD, não deveria ter aceito o convite de Fábio para conversar.
  • Ele deveria ter denunciado Fábio pela tentativa de cooptação imediatamente, mas só resolveu falar quatro dias depois.
  • Se aceitou conversar, deveria ter respeitado a confidencialidade.
  • Em política, nos negócios e até na vida pessoal não tornamos públicas muitas coisas que conversamos.
  • Se passamos as informações adiante, estamos traindo a confiança da outra parte.
  • Nas campanhas que fiz, por duas vezes fui escolhido para falar com emissários de adversários.
  • Uma das conversas foi num posto de gasolina. Estava quente e meu interlocutor fez a gentileza de me pagar um sorvete. Não houve acordo, mas jamais divulguei aos quatro ventos o resultado de nossa conversa.
  • Num outro encontro, eu o emissário dos adversários nos encontramos na esquina de uma rua. Estava garoando. Entramos num vão para nos proteger. Minutos depois uma porta baixou e ficamos trancados. Só então percebemos que estávamos numa garagem. Também nesse caso não houve acordo.
  • Jefferson fez o que eu  nunca teria feito com nenhum dos adversários com quem me encontrei.
  • Se aceitei conversar, então o assunto deveria ficar entre nós e o mesmo aconteceu por parte dos adversários.
  • Ainda bem que nunca tive que conversar com o Jefferson sobre nenhum assunto confidencial.
  • Segunda rodada de programas eleitorais do horário noturno, segunda vitória do Napoleão.
  • Programa do Jean tem algumas coisas meio estranhas, do enquadramento à iluminação e maquiagem.

NAPOLEÃO

  • Boa abordagem do plano de governo.
  • Bom enquadramento – como sempre – das falas do Napo.
  • Bom texto lido pelo candidato sobre inexperiência e sorriso, numa tomada em que, acertadamente, ele não sorriu.
  • As entradas do Napoleão são consistentes e mais longas que as do Jean, que entra de forma muito rápida e entrecortada.
  • Com isso, Napo fica mais tempo no video, passa mais informações ele próprio e transmite mais credibilidade.
  • Boa dose de propostas.
  • Questão de mudar a nova ponte de lugar me parece coerente e factível.
  • Estou quase votando nele por causa disso.
  • Botaram uma apresentadora nova, de cabelo ruivo, feiosa e sem graça, meio sinistra, com cara de quem não tá nem aí.
  • Injustiça para com a Cínthia Pereira, que é muito mais bonita e simpática, fala muito bem e tem uma imagem clean.

JEAN

  • Tem alguma coisa errada com os programas do Jeanzão.
  • O da tarde teve erros nas legendas.
  • Acho que os remanescentes da equipe do marqueteiro demitido estão de sacanagem.
  • Jean está de um jeito diferente, deve ser por causa da maquiagem. Parece que exageraram no pó de arroz.
  • Os vincos da face ficam sobressalentes com diferenças de tons.
  • A apresentadora tem um brilho em boa parte do rosto. Talvez seja problema de iluminação.
  • Algumas imagens de estúdio estão chapadas, em contraste com algumas boas tomadas externas.
  • O enquadramento dado ao Jean às vezes não tem o mesmo impacto do que é dado ao Napoleão. A posição da câmera deixa Jean menor no vídeo, enquanto que Napoleão fica mais próximo e obtém resultado melhor.
  • Programa começou com uma patada no Jovino, que, a meu ver, foi acertada, mas talvez fosse melhor esperar mais um dia ou dois pra começar a bater.
  • Jean comparou a experiência dele com a do Napoleão, mostrou que teve o dobro de projetos como vereador.
  • Boa inserção da explicação da participação dele no Governo LHS que na minha opinhãozinha não foi lá aquelas coisas, mas tudo bem.
  • Fez algumas propostas, uma das quais, a das vagas das creches, igualzinha do Napoleão, assim como a proposta da guarda municipal com 100 agentes é comum entre os dois.
  • Mas o Jean aparece em falas curtas e entrecortadas por comerciais amontoados dentro do programa, o que quebra a sequencia das ideias.
  • Sob esse ponto de vista, o programa do Napoleão é muito melhor costurado e encadeado.
  • Nelsinho Santiago tem que chamar a turma e dar uma dura em todo mundo.

  • No post anterior, falei que as candidaturas de Napoleão e Jean são gêmeas e que as diferenças estão no sorriso e nas camisas.
  • Pois o que eu disse é tão verdade, tão verdade, mas tão verdade, que o Napoleão colocou no ar um comercial em que pede para que votem nele pelo sorriso dele e que ele é tão fofinho que dá vontade de abraçar.
  • Uma ótima sacada.
  • Uma proposta altamente politizada, que dificilmente poderá ser encampada pelo Jean.

  • Blumenau se saiu muito bem na eleição.
  • Primeiro, porque o PT não vai voltar.
  • Segundo, porque os dois candidatos que ficaram são rigorosamente a mesma coisa.
  • São gêmeos políticos.
  • Você pode votar tranquilamente no Napoleão.
  • Você pode votar tranquilamente no Jean.
  • Pode até tirar cara ou coroa se estiver com preguiça de pensar a respeito.
  • Nenhum deles embute o risco de surpresas.
  • Os dois representam a continuidade.
  • Só muda a embalagem.
  • O que vai influenciar na escolha dos eleitores é a percepção de algumas diferenças entre eles e as preferências pessoais.
  • Por enquanto, a diferença mais perceptível está nas camisas e no sorriso.
  • Jean prefere azul e vive de cara fechada.
  • Napoleão gosta de rosa e sorri até quando pisa em prego enferrujado.
  • O resto é tudo igual

IDADE

  • Jeanzão tem 37. Napoleão tem 30.
  • O que eu acho: Napoleão não é tão jovem a ponto de não reunir condições para governar. João Paulo assumiu com 32. O critério de idade nesse caso não é importante.
  • Desdobramentos: Jean pode explorar esse fato a seu favor, mas Napoleão pode anular isso mostrando, maturidade principalmente em debates. Como os dois são jovens, a percepção da diferença de idade não é muita.

EXPERIÊNCIA

  • Jean foi duas vezes deputado e atuou como secretário do LHS. Teve uma curta e insignificante passagem por uma secretaria não muito importante. Na AL, teve boa atuação regional, mas não angariou o prestígio da saudosa Ana Paula, falecida prematuramente no primeiro turno.
  • De tangível, Napoleão tem um mandato de vereador que conduziu com notável habilidade para evitar bolas divididas.
  • O que eu acho: Os dois são igualmente capazes para assumir a prefeitura. Experiência é uma coisa relativa. Sarney era experiente quando virou presidente. Collor também. Lula era inexperiente.
  • Desdobramentos: Jean pode levar vantagem se conseguir convencer o eleitor de que sua experiência, seja ela qual for, é importante para administrar a cidade.

O NOVO E O VELHO

  • Napoleão se apresenta como arauto de novas práticas políticas. Mas já deu mostras, enquanto vereador, de que se dispõe a defender decisões partidárias controversas usando sua preciosa oratória para justificar-se diante da contrariedade da opinião pública. Na questão do esgoto, foi à linha de frente defender a contestada emenda da licitação que viabilizou o contrato com a Foz, tornando-se fiador.
  • Jean não está nem aí pra essas coisas. Admite a continuidade e pronto.
  • O que eu penso: Não vejo diferença entre os dois.
  • Desdobramentos: Não sei se tem muita gente dando bola pra esse discurso do Napoleão. Não acredito que a expressiva votação dele tenha advindo dessa postura. Não sei se esse discurso vago vai seduzir o eleitor que não votou nele no primeiro turno.

PARTIDOS

  • Napoleão se apresenta quase que como um santo, mas o partido dele tem o Pavan, que todos os dias agradece por não ter ido preso. Tebaldi, do PSDB de Joinville, é outro que quase foi em cana. Ficou fora do segundo turno em 2012. O PSDB tem também o Clésio Salvaro, prefeito de Criciúma, impugnado justamente por velhas práticas políticas. Napoleão faz discurso de novo num partido velho, de práticas velhas.
  • O partido do Jean é uma dissidência do partido do Jovino, que apoia o Napoleão. Nasceu todo enrolado, com um monte de morto assinando ficha de filiação. Um balaio de gato que reúne de ex-malufistas a neolulistas. É adepto da política tradicional, do toma lá da cá, mas pelo menos assume isso e não enrola.
  • O que eu penso: Os partidos tanto de um quanto de outro são iguais. Nenhum dos dois candidatos pode se apresentar como sendo de um partido melhor e mais ético.
  • Desdobramentos: Nenhum. As pessoas estão se lixando para os partidos.

PROPOSTAS

  • A proposta mais visível do Napoleão é a de reduzir os cargos comissionados, seguida de perto pelo amor incondicional dele aos pontos de ônibus com assento e cobertura.
  • O Jean eu nem lembro direito qual a principal proposta dele, já que ele só promete continuar o que está sendo feito. Mas pelo menos ele não promete fazer uma estátua do João Paulo pra colocar na Praça Dr. Blumenau.
  • O que eu penso: Nenhum dos dois promete nada de extraordinário. Nada de propostas megalômanas. Isso é bom.
  • Desdobramentos: Nenhum. Nenhum deles tem até agora alguma proposta diferenciada com alto poder de sedução.

OS VICES

  • Os dois vices sumiram no primeiro turno, ao contrário do Marcos e do João Alberto. César Botelho carrega o peso de ser genro do Renato Vianna e é mesmo. Mas há uma pequena dose de injustiça nisso. Botelho é um sujeito inteligente, bem humorado, prestativo e organizado. Não teria dificuldades em galgar espaços no PMDB de Blumenau, onde pontificam estrelas como o Rufinus e a Dona Marlene. Paga preço de ser genro ficando à margem da eleição.
  • Jovino foi escondido pelo Napoleão no primeiro turno. Não sei por que. Jovino tem votos e seu pavio curto me parece uma coisa mais conhecida nos círculos políticos do que entre os eleitores. Mostrou seu valor na reta final da campanha e apareceu já no primeiro programa do segundo turno do Napoleão, que deve desculpas a ele por tê-lo ocultado. Se ele pode aparecer agora, poderia ter aparecido antes.
  • O que eu penso: Vice não ganha eleição, mas ajuda a perder, por isso os dois ficaram sumidos no primeiro turno.

    Desdobramentos: Jovino é um vice de peso. É polêmico, mas pode continuar trazendo votos para Napoleão dentro do segmento religioso. Botelho não acrescenta nada, mas seu nível de atrapalhamento é menor do que o do Jovinão.

  • Começou o horário eleitoral do segundo turno.
  • Primeiro programa da tarde.
  • Excelente programa do Napoleão. Emoção. Edição vigorosa. Tudo novo.
  • Candidato exibindo confiança. Melhorou a postura no discurso de palanque, falou no tom certo, sem o exagero que comete de vez em quando.
  • Péssimo programa do Jean. Um horror. Coisas requentadas. Nada de emoção. Falas curtas e burocráticas.
  • Discurso ressabiado. Candidato parecendo cachorro atropelado mancando na beira do asfalto.
  • De novidade mesmo, só a percepção de que o Jean deve ter emagrecido uns 20 quilos.
  • Napoleão precisa comprar camisas novas.
  • Uma campanha política exige dedicação integral.
  • Vejam o caso da Ana Paula.
  • Ana Paula é mãe, dona de casa e deputada.
  • Ela vai e volta todo dia de Florianópolis para poder cuidar da família.
  • Ficou fora do segundo turno.
  • Da próxima vez, ela com certeza var querer se licenciar e contratar uma empregada.
  • A mesma coisa aconteceu com o Jean Kuhlmann.
  • Ele tinha que ajudar a mãe a enxugar a louça todos os dias.
  • Isso quase custou sua ida ao segundo turno.
  • Por causa disso a nova coordenação do marketing da campanha do PSD decidiu apostar numa arma secreta que será entregue hoje mesmo na casa da mãe do Jean:

  • Napoleão que se cuide.
  • Ana Paula Lima deu entrevista na Nereu dizendo que quer ser eleita no primeiro turno alegando dois motivos futilésimos:
  • A novela vai voltar ao horário normal
  • O pessoal vai poder curtir a Oktberfest
  • Jean Kuhlmann produziu um comercial para a TV dizendo que deve ser eleito no primeiro turno alegando um motivo futilésimo:
  • O pessoal vai poder curtir a Oktberfest
  • O problema do video do Jean é que o casal que aparecia dava a impressão que estava debochando dos eleitores. Provocou rejeição.
  • Foi mal feito, um tiro no pé. Ao invés de humor, passou arrogância e desrespeito.
  • Não condenei a Ana Paula, não dei lição de moral nela quando comentei o assunto no Face.
  • Quando começaram a me cobrar sobre o vídeo do Jean, eu citei os dois casos defendi ambos de dizerem o que disseram.
  • Mas a minha opinião foi diferente da maioria das pessoas.
  • Jean encagaçou-se todo e retirou o vídeo do ar.
  • Fiquei pendurado na brocha.
  • Paguei um mico.
  • Tudo bem, cada um faz o que achar melhor.
  • Então passei a ser cobrado a respeito da veracidade das declarações da Ana Paula.
  • Pra mim, nem Ana Paula e nem Jean Kuhlmann falaram nada de grave.
  • Foi apenas um chiste.
  • Alguém tentou criar uma tempestade em copo d’água e conseguiu.
  • Separei o trecho da entrevista à Nereu e a coloquei abaixo, pra quem quiser conferir.
  • Coloquei também um link com o comercial do Jean, gentilmente recolocado no Youtube pelo sempre amável e prestativo pessoal do PSDB.

COMPARE OS DOIS CASOS E JULGUE VOCÊ MESMO

VIDEO 1: A ENTREVISTA DA ANA PAULA

VIDEO 2: O COMERCIAL DO JEAN

  • A Guararema promoveu um debate entre os candidatos de Blumenau nesta manhã de domingo.
  • O resultado foi o seguinte:

  • Nas últimas semanas choveram pesquisas eleitorais, muitas delas contestadas. O Datacarlos foi às ruas e fez a única pesquisa 100% confiável, sem margens de erro.
  • Os resultados são os seguintes:
  • 97,99% dos eleitores que acreditam nas promessas dos candidatos dizem que já viram duendes e 78,82% afirmam peremptoriamente que o Papai Noel existe.
  • 76,54% confundem a Ana Paula ora com a Carminha, ora com a Nina, devido à proximidade do horário eleitoral com a novela.
  • 87,01% estão se sentindo inseguros com o fato de não ter mais o Rufinus como vice-prefeito a partir do ano que vem.
  • 99,01% dos eleitores do Ivan Naatz não sabem qual é o candidato a prefeito que ele apoia.
  • 43,03% dos eleitores pensam que o Jean Kuhlmann é o vice do João Paulo.
  • 76,06% dos entrevistados não conseguem tirar a musiquinha do Osni da cabeça.
  • 67,98% sabem que a Ana Paula é casada, mas não sabem com quem, já que ela nunca diz o nome do marido.
  • 98,32% confundem os ônibus maravilhosos que aparecem no programa do Jean Kuhlmann com o trem bala japonês e 54,06% acham que ele vai ser prefeito de Tóquio.
  • Essa semana declarei meu voto no Jean Kuhlmann.
  • Mas isso não significa que minhas opiniões passem a ser tendenciosas.
  • Pelo contrário: agora mesmo é que preciso reforçar os pilares de sustentação do verdadeiro jornalismo, redobrando a atenção para com a imparcialidade.
  • As fotos abaixo comprovam o respeito e a absoluta neutralidade com que trato os candidatos a prefeito de Blumenau.
  • Perceba que não há qualquer tipo de privilégio.
  • As fotos foram colocadas em ordem alfabética.
  • Além disso, estão do mesmo tamanho e com a mesma qualidade.
  • Ética, isenção e compromisso com a verdade – esse é o meu lema.

  • Nos programas eleitorais desta quarta-feira, duas novidades: o Psol finalmente trocou de programa e, como reconhecimento, não ficou em último lugar na minha avaliação

1º Lugar – Ana Paula

  • Programa plasticamente bem feito.
  • Boa sacada da múltipla representação do ator/apresentador.
  • Teve promessa vigorosa, a criação da Guarda Municipal Comunitária,
  • Bom didatismo na explicação sobre segurança.
  • Renovou a boa promessa das UPAs.
  • Resgatou muito bem a participação da candidata como presidente da Promenor.
  • Ótima ideia dos depoimentos de jovens que há mais de oito anos foram apoiados pela Promenor e que hoje são adultos.
  • Programa bem costurado.
  • Ana Karenina de novo muito bem nas ruas, falas curtas, assim meio estilão Nextel.

2º Lugar – João Paulo

  • João Paulo não é candidato.
  • Mas só deu ele no programa do PSD.
  • O nome dele foi citado 937 vezes, contra apenas duas do Jean.
  • Programa bem montado pra valorizar as obras do atual governo.
  • Redondinho, bem costuradinho.
  • Cumpriu a função de não ser cansativo nos 12 longos minutos de duração.

3º Lugar – Napoleão

  • Programinha simpaticozinho, mas ficou só nisso. Não empolgou.
  • Ceninha simpaticazinha na cozinha de um casal de moradores, com papo sobre com controlar as despesas da casa.
  • Napoleão disse que seus secretários serão técnicos, mas não falou se vai contratar o Cesar Paulista e o Mauro Ovelha.

4º Lugar – Osni

  • O Psol ganha o quarto lugar por ter finalmente colocado um novo programa no ar.
  • Osni Mubarak é o único a falar sempre grudado no vice.
  • O Psol tem o único jingle que cita o prefeito e o vice.
  • Prometeram a federalização da Furb, 10% do PIB pra educação e outras coisas que não anotei.
  • O que anotei foi a legenda em que eles afirmam que vão evitar o “dispirdício”.
  • Procurei no dicionário mas não descobri o que significa dispirdício.

5º Lugar – Jean Kuhlmann

  • Billie Jean fica em quinto lugar porque não apareceu no programa dele mesmo.


Primeiro foi o Napoleão que disse que vai ser prefeito 24 horas.

Dias depois quem falou em ser prefeito 24 horas foi o Jean.

A Ana Paula vive falando em saúde 24 horas nos bairros.

Quando o Napoleão veio com essa história, sugeri que ele poderia abrir uma borracharia 24 horas no subsolo da prefeitura.

Num dos programas do Jean Kuhlmann, descobrimos que ele limpava banheiros quando começou a trabalhar.

Já a Ana Paula se orgulha de ser enfermeira, uma profissional que vive de plantão.

Acho que podemos juntar os três num bom esquema de serviço público 24 horas.

Vamos colocá-los para trabalhar na rodoviária, que já funciona 24 horas.

Cada um atuará na sua especialidade:

Instalamos um postinho de saúde na rodoviária e Ana Paula, a enfermeira, fica lá em plantão 24 horas pra atender a turma que quebra a perna em acidente de moto ou torce os pés nos buracos da Foz.

Napoleão transfere a borracharia 24 horas pra lá e, como é grande, jovem e forte, pode até ajudar a trocar pneus dos ônibus.

Jean Kulhmann fica 24 horas limpando os banheiros.

  • Tivemos o primeiro pograma eleitoral dos candidato a prefeito de Blumenau nesta quarta-feira.
  • Não vou analisar o do meio-dia.
  • O que conta é o da noite.

1º LUGAR: NAPOLEÃO

  • Napoleão teve um bom pograma, muito bem editado e cumpriu a missão de apresentar o candidato e sua formação profissional e intelectual.
  • Napo esteve bem, falou bem, cenário bacana, iluminação boa e estava à vontade, nem muito sério, nem muito risonho.
  • Também evitou algo que considero pouco natural nele, que é a gesticulação excessiva, uma teatralidade estudada que por vezes lhe confere um ar de artificialidade nos discursos.
  • Esteve no ponto.

2º LUGAR: JEAN KUHLMANN

  • Pograma vigoroso, de peso, que impressiona.
  • Teve áudio ruim, com microdelays, que prejudicou um pouco a apresentação.
  • Imagens não tão nítidas quanto as do Napoleão, mas muito boas.
  • Candidato à vontade, me pareceu simpático e comunicativo.
  • Ficou menos “duro” do que eu imaginei.
  • Abriu espaço para o João Paulo, coerente com a proposta de defender o governo.
  • Deu uma pequena escorregadela nas imagens de populares sorrindo, ao mostrar um homem negro como engraxate (estereótipo?), quando temos em nossa cidade muitos negros jovens, belos e estilosos e em funções bem melhor qualificadas do ponto de vista sócio-econômico.
  • Também inventou uma tal de “Avenida Blumenau” desnecessária e meio sem graça.
  • Cuidado aí, Jean. A Idelizona fez um troço parecido com o Louro José e se de deu mal…

3º LUGAR: ANA PAULA

  • Ana Paula estava com cara de cansada, um pouco abatida, uma fisionomia meio tensa, parecia forçada.
  • Me decepcionei-me um pouco.
  • Esperava que ela se saísse melhor, pois esteve sempre bem nos debates.
  • Não conseguiu transmitir a mesma naturalidade dos debates, mas se soltou em alguns momentos.
  • Tende a melhorar.

4º LUGAR: OSNI WAGNER

  • O candidato do PSOL, com sua modestíssima produção artesanal entrou na campanha como figurante e dela assim deverá sair.
  • O pograma terminou com um impagável “siga-nos no Facebook”.
  • Talvez renda como uma espécie de atração turística eleitoral.

.

  • Domingo pela manhã fui caminhar pela XV, na Rota de Lazer.
  • Fomos eu e meu guapeca, o Pelé.
  • Pelezão e eu nos deparamo-nos com uma gravação externa do programa do Jean Kuhlmann.
  • Uma baia estrutura, alinhás.
  • Pelo que pude ver, o Jean se sai muito bem nas gravações. A conferir no horário eleitoral.
  • Tinha um monte de gente acompanhando a gravação do outro lado da rua.
  • Tentei convencer o Pelé a prestar atenção também, mas ele não deu muita bola.
  • Estava mais interessado nas cachorrinhas.
  • O que mais me impressionou-me não foi nem a estrutura do troço e nem o desempenho do Jean.
  • Foi o jeito com que um dos caras da produção carregava um rolo de fita crepe, pendurada numa correntinha.
  • Até destaquei ele na foto abaixo.

  • Napoleão distribuiu nota criticando a Ana Paula e o Jean Kuhlmann por não irem a um debate na Band SC.
  • Foi um erro.
  • Candidato que reclama que outro não vai a debate não ganha nada.
  • Pelo contrário. Só perde. A turma não gosta dessas coisas.
  • Além disso, é muito cedo pra se pensar nisso. A campanha ainda não engrenou.
  • Vou dar um conselho pro Napoleão: sempre que receber um convite para um debate, saia na frente e divulgue rapidamente que aceitou o convite.
  • Aproveite pra fazer propaganda e enfie algum discurso no meio, dizendo que no debate você quer debater isso ou aquilo, etc.
  • Esqueça os outros candidatos. Sequer os mencione e não perca tempo dizendo que espera que os demais compareçam.
  • Concentre-se em passar um recado positivo e propositivo, aproveitando o gancho.
  • Faça isso logo que receber o convite pro debate.
  • Se ele depois for cancelado por causa dos outros candidatos ou se for um debate de pouca expressão, você terá passado uma mensagem propositiva.

  • A RIC TV de Blumenau tem três Alexandres.
  • Em ordem alfabética:
    1. Alexandre Gonçalves
    2. Alexandre José
    3. Alexandre Pereira
  • Simone, a empregada lá de casa, é fã dos três. Pela ordem ela é fã de:
    1. Alexandre José
    2. Alexandre Gonçalves (“Ele é bonitão”)
    3. Alexandre Pereira
  • Hoje no almoço encontrei a Simone preocupada.
  • Ela acabara de ver o Alexandre Gonçalves dizendo, no jornal do Meio Dia, que o PSDB fechou com o DEM em Blumenau.
  • Isso mexeu com todo o cenário político na cabeça dela.
  • Simone ia votar no Jovino pra prefeito, porque ele se veste bem e é elegante.
  • E ia votar no Mário Hildebrandt pra vereador, porque ele ajuda os pobre.
  • Diante da notícia da união PSDB/DEM, ela teve que refazer suas escolhas.
  • Simone disse que agora vai votar no Jovino pra vereador, pois supõe que ele vá concorrer à reeleição.
  • E vai votar no Jean Kuhlmann pra prefeito, mas não explicou por que.
  • Como a gente vê, as decisões políticas têm reflexos imediatos junto à massa do eleitorado.
  • Fiquei petrificado ao ouvir uma entrevista do Jean Kuhlmann na Nereu dias atrás.
  • O homem falou mais mal do governo do que a Ana Paula.
  • Reclamou que a prefeitura gasta muito com aluguel, prometeu construir um novo centro administrativo pra economizar dinheiro e desceu o porrete nas péssimas condições de um posto de saúde que ele viu lá não sei onde.
  • Se eu fosse o João Paulo, chamava o Jean na minha sala e esmagava dois dedos dele com um martelo. Depois, obrigava o infeliz a escrever 200 vezes numa lousa: “Não sou o Ivan Naatz. Não sou do PT“.

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Twitter

Comentários

Carlos A. D´Ávila em Ninho de pulgas passa por…
carlostonet em Matiazão, o Rei da Caixa …
JJ em
Carlos A. D´Ávila em
Miguel José Teixeira em

Digite seu endereço de email para acompanhar esse blog e receber notificações de novos posts por email.

Junte-se a 192 outros seguidores

Agendoca

novembro 2014
S T Q Q S S D
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Arquivos

Blog de Carlos Tonet

Jornalista e marceneiro

Crítica (non)sense da 7Arte

Blog com críticas de cinema; Blog with coments about cine; Blog con críticas de películas

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 192 outros seguidores