A destadinhização dos professores

Toda greve de professor é a mesma coisa. São todos tratados como tadinhos e heróis abnegados. Não é bem assim. Parte da falência do ensino público repousa sobre os próprios professores, muitos deles inaptos, despreparados e sem a mínima vontade de realizar um bom serviço. Em meus tempos de colégio público, tive no máximo 30% de professores decentemente capacitados. O resto era tudo enrolão.

Precisamos parar de tratar professor como tadinho. É preciso destadinhizar essa classe, sempre beneficiada com aposentadorias especiais, gratificações de tudo o quanto é tipo e ocupação de cargos políticos dentro das escolas. Uma das primeiras providências é acabar com a eleição direta nas escolas, processo que consome tempo e uma troca de favores que não acaba mais.

Sim, professor deve ganhar bem. Mas deve render o suficiente para merecer. Mas, enquanto o tratarmos como tadinho, viveremos sempre no mesmo circulo vicioso, sem saber se o professor é despreparado porque ganha  mal ou ganha mal porque é despreparado.

Cumpra-se a lei
Não sei porque todo esse berreiro em torno do serviço malfeito da Foz do Brasil na recuperação das ruas. A TVL vive veiculando propaganda sobre a Lei 4.773, de 2010, que determina multa diária de R$ 1.000 para empresas que fazem obras em espaços públicos e não refazem o piso de forma correta.

Se a lei for aplicada, nem precisamos exigir que a Foz faça as coisas direito. Basta pegar toda a dinheirama das multas e investir em repavimentação. Do jeito que a coisa anda, vamos  arrecadar bem mais do que os R$ 300 milhões de todo o projeto do esgoto.

 

Grelha do ano

Fiz uma pesquisa e constatei que em junho nossos vereadores solicitaram a instalação de 90 grelhas em bueiros. O campeão de solicitações do mês foi o Deusdith, que pediu a instalação de 26 grelhas, correspondentes a 29% do total. Em seguida aparecem empatados os não menos combativos e operantes Beto Tribess e Fábio Fiedler, com 22 grelhas cada.

Diante da importância do assunto, farei um levantamento mensal das grelhas solicitadas até o final do ano. O vereador que solicitar mais grelhas, receberá de mim uma comenda especial como Destaque Municipal da Grelha.

Conselho Municipal do Carlos

Adorei ouvir uma entrevista do João Paulo sobre a confusão em torno do aumento do ônibus. Ele disse que o problema não é dele. É do Contranblu, um conselho municipal criado para descascar o abacaxi. João Paulo disse que o papel dele é acatar o que o Contranblu decidir.

Gostei da ideia. Gostei tanto que vou criar o Comcarlos – Conselho Municipal do Carlos. Repassarei todos os meus pepinos pro Comcarlos e farei como o João Paulo: lavarei as mãos, os pés e as orelhas de uma só vez.

Transporte de extrema qualidade

Não tem jeito. Com mais de mil carros novos na cidade todos os meses, nosso trânsito só irá piorar. Mais carros significam também menos gente andando de ônibus. Ou seja: pra convencer o pessoal a voltar para o transporte público não basta falar em qualidade. Precisa ser de extrema qualidade.

Essa coisa de ônibus com ar condicionado não funciona mais. Busão vai ter que ter poltrona reclinável, cineminha individual com telas HD, rodomoça servindo petiscos, sala VIP nos terminais e pontos de embarque climatizados.

Lei do ridículo
A necessidade de uma lei para que os cinemas higienizem os óculos 3D é uma piada. Em vez de obrigação, isso deveria ser parte da qualidade do serviço prestado pelos estabelecimentos a seus distintos clientes.

Se for assim, daqui a pouco vamos precisar de uma lei obrigando restaurantes a lavar os pratos e os talheres. E uma outra para que os supermercados lavem o chão, além de exigir que os atendentes de farmácia usem camisa.

Caos

Uma coisa que funciona muito bem nas grandes cidades são as vans clandestinas. Resolvem os problemas de muita gente. Já que ninguém resolve o problema dos ônibus, precisamos reivindicar vans clandestinas em Blumenau.